TELMO JOSÉ TOMIO

Nasceu aos 12 de junho de 1973, em Itajaí, Estado de Santa Catarina. Filho de José Airton Tomio e Ivaci Nunes Alves Tomio. Irmão de Anderson e Mariana.

Professor concursado, músico e genealogista catarinense. Servidor público do Magistério Estadual.

Foi seminarista por 10 anos. Graduou-se em Filosofia, com habilitação em Sociologia e História, pela Pontifícia Universidade Católica do Paraná (PUC-PR). Pós-graduado – especialização em Psicopedagogia, pelo IFES-ICPG. Estudou Música – Composição e Regência, na Escola de Música e Belas Artes do Paraná. Residiu em Buenos Aires, onde lecionou música e pesquisou genealogia.

Maestro-regente do Coral Fratelli d’Itália, da Associação Italiana de Guaramirim – SC e Paróquia Senhor Bom Jesus, de Guaramirim. Autor de diversas composições musicais, muitas delas gravadas pela Paulus e Paulinas, e cantadas em igrejas católicas do Brasil. Tocava órgão, harmônio, acordeão e tuba. Organista e cantor da Igreja Matriz do Santíssimo Sacramento de Itajaí desde os 14 anos de idade.

Pesquisador de genealogia desde 1997, tinha uma biblioteca particular com mais de 1600 livros de História, Colonização, Imigração e Genealogia. Foi homenageado pelo prefeito e pelos dois padres da pequena cidade de Borgo Valsugana, Trento, Itália, cidade de onde veio o ancestral da família Tomio, pela profunda pesquisa genealógica realizada nos livros daquela paróquia, com registros desde o ano 1560.

Associado do Colégio Brasileiro de Genealogia em 21.08.2007 e do Instituto de Genealogia de Santa Catarina- INGESC em 2006.

 

Trabalhos realizados na área de Genealogia e História:

– Mais de 90 artigos publicados no blog Telmo Tomio – Genealogia e História, com mais de 71 mil acessos [www.telmotomio.blogspot.com];

– “Obituário Itajaiense” – artigo. Os primeiros óbitos contendo referência ao lugar Itajaí, a partir de 1791.  In Anuário de Itajaí 2010;

– “A Irmandade do Santíssimo Sacramento de Itajaí” – artigo. Resgate dos nomes de seus membros desde o ano de sua fundação, em 1830. In Anuário de Itajaí 2012;

– Bodas de Jequitibá – 100 anos de casados, se estivessem vivos – Registros de Casamentos da Paróquia do Santíssimo Sacramento de Itajaí, ano de 1914. In Anuário de Itajaí 2014;

– Transcrição de dados dos Livros de Batismos, Casamentos e Óbitos da Paróquia do Santíssimo Sacramento de Itajaí – SC, de 1823 até 1880;

– Transcrição de dados dos primeiros livros de Batismos, Casamentos e Óbitos da Capela de São João Batista de Itapocorói – Penha, SC;

– Coordenação e participação em mutirões de genealogistas que têm feito as transcrições de dados dos primeiros livros de Batismos de São Francisco, Araquari, Imaruí, Barra Velha, Penha, Luís Alves, Gaspar, Brusque, Camboriú, Porto Belo e São José, todos locais de SC;

– Participação no mutirão de extração de dados dos livros de Batismo das Paróquias São João Batista da Lagoa – Rio de Janeiro-RJ, e Nossa Senhora da Conceição da Lagoa – Florianópolis-SC;

– Pesquisas citadas e referenciadas nos livros “Famílias de Brusque – Botuverá e Guabiruba”, de João Carlos Mosimann e “Botuverá – Nossa História, Nossa Gente”, de Pedro Luiz Bonomini;

– Identificação dos imigrantes italianos, dos vapores e respectivos desembarques, daqueles que se instalaram na região de Brusque, Gaspar, Botuverá e Nova Trento, todos locais de SC;

– Pesquisas genealógicas das famílias açorianas de Imaruí, Vila Nova de Sant’Ana – Imbituba, Tubarão e Laguna, em SC;

–  Pesquisas genealógicas das famílias Espíndola, Nunes da Silva e Rocha – da região Sul de Santa Catarina;

– Pesquisas genealógicas de  todas as famílias instaladas na região da foz do Itajaí, desde Camboriú até Barra Velha, do litoral ao interior, a partir de 1750 até 1880 aproximadamente, com incursões em Araquari, São Francisco, Porto Belo e Tijucas. (deixadas em andamento, não chegaram a ser publicadas;

– Pesquisas das famílias italianas de Botuverá, com incursões em Brusque, Gaspar e Nova Trento. (trabalho não publicado);

– Pesquisas particulares encomendadas e pesquisadas das famílias: Tomío, Assini, Gianesini, Censi, Melato, Colzani, Dalsóquio, Rampelotti, Maestri, Barni, Rezini, Bósio, Girardi, Stolf, Ferreira, Azevedo, Caresia, Crespi, Maffezzolli, Bodenmüller, Bittencourt, Pereira, Freitas, Ferreira de Mello, Imthurn, Müller, Souza da Silva, Borba Coelho, Coelho da Rocha, Veira Cordeiro, Souza Cordeiro, Machado de Espíndola, e outras;

– Ensino da Pesquisa Genealógica e Coleta de Dados, para alunos da rede pública Estadual em Corupá, Jaraguá do Sul, Itajaí, Barra Velha e Penha, em SC.

– Trabalhos de pesquisa genealógica e projeto “Genealogia na Escola” publicados e noticiados em jornais locais de 2014: Diário do Litoral (Diarinho), Expresso das Praias, Jornal do Comércio e no boletim Carta Mensal do CBG.

Também realizava pesquisas genealógicas  particulares por encomenda.

Faleceu a 28 de julho de 2019, aos 46 anos de idade, no município natal. Deixou a esposa Simone Jaqueline Dalsóquio Tomio e um filho nascido em 2014, Lorenzo Antonio Dalsóquio Tomio.

Volatr ao topo