José Ubaldino Motta do Amaral

Nascido no Rio de Janeiro, em 18 de julho de 1938, filho de Ubaldino do Amaral Neto (neto paterno de Ubaldino do Amaral Fontoura, abolicionista e prefeito do Distrito Federal, filho de Amanda Sylvia do Valle, neta materna de Rufino Enéas Gustavo Galvão, visconde de Maracaju) e de Alice do Amaral Motta (filha de Cândido Motta, político paulista, prima-quinta do marido). Funcionário público federal aposentado (Diretor do Serviço de Taquigrafia do Tribunal Regional Eleitoral do Rio de Janeiro). Licenciado em Línguas Latinas e História e Geografia (1959), estenotipista, genealogista, organista, taquígrafo e tradutor.

Casado no Rio de Janeiro, em 19 de dezembro de 1964, com Maria Celanira Silveira Zacarias (nascida em Quarai, RS, em 7 de abril de 1940), professora, filha de Olinto Zacarias e de Maria Ester Silveira. Tem dois filhos casados (Luís Zacarias do Amaral, engenheiro de informática, e Maria Alice Zacarias do Amaral, médica veterinária) e três netos.

Associações Culturais a que pertence:

  • Associação Brasileira de Estenotipia – Rio de Janeiro, RJ – Sócio Fundador;
  • Colégio Brasileiro de Genealogia – Rio de Janeiro, RJ – Sócio Titular – Cadeira nº 9;
  • Instituto Brasileiro de Genealogia – São Paulo, SP;
  • Associação Brasileira de Pesquisadores de História e Genealogia – ASBRAP – São Paulo, SP;
  • Instituto Genealógico do Rio Grande do Sul – INGERS – Porto Alegre, RS;
  • Instituto Histórico, Geográfico e Genealógico de Sorocaba – Sorocaba, SP;
  • Instituto Cultural D. Isabel I – Rio de Janeiro, RJ;
  • Associação dos Colaboradores em Música Sacra e Canto Pastoral – Rio de Janeiro, RJ.

Obras publicadas:

  • O Marechal Visconde de Maracaju – Memória histórico-genealógica
  • A descendência de Ubaldino do Amaral Fontoura
  • Um ramo da família Motta no Brasil – A descendência de José Antônio da Motta

A publicar:

  • O sobrenome Amaral (em processo de revisão)
  • O Gotha da América (em processo de digitação)

Traduções:

  • De todo Coração (Tout m’est Bonheur) – de Isabelle de Orléans e Bragança, condessa de Paris
  • Os caminhos sulcados (Les Chemins creux) – idem
  • Contos de minhas Terras (Contes de mes Pays) – idem
  • D. Luís Gastão do Brasil (Um jeune Prince chrétien – Louis Gaston d’Orléans-Bragance) – Monsenhor René Delair
  • Minha Mãe, a Princesa Imperial Viúva (Lê Temps de ma Mère) – Pia Maria, Princesa Imperial do Brasil, condessa René de Nicolai
  • Memórias (Mes Mémoires) – Albert Latapie (lacaio da Princesa Isabel, e, mais tarde, mordomo do Castelo d’Eu)
Volatr ao topo